Utilização Sustentável de Lodo de ETA na Confecção de Tijolos Maciços

Autores

  • Homar Capistrano Mustafa Yusuf Universidade Cuiabá, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências Ambientais. MT, Brasil
  • Osvaldo Borges Pinto Junior Universidade Cuiabá, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências Ambientais. MT, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.17921/1415-6938.2023v27n4p419-422

Resumo

Um dos desafios atuais das empresas de saneamento é encontrar soluções sustentáveis para a destinação do lodo gerado nas Estações de Tratamento de Água - ETAs. De igual forma, é de interesse das cerâmicas a incorporação de algum elemento, para a redução dos custos associados com a aquisição da argila. Neste sentido, o estudo visou verificar a viabilidade da incorporação do lodo na argila empregada na fabricação de tijolos maciços, sendo a pesquisa conduzida em uma ETA e uma cerâmica do município de Várzea Grande – MT. Para tanto, inicialmente fora feito um estudo prévio mediante confecção de telhas em tamanho reduzido, a fim de avaliar como se seria promissora a mistura da argila e lodo de ETA. Após a avaliação realizou-se o preparo de peças de tijolo maciço, a fim de ampliar o horizonte das possibilidades da utilização do lodo de ETA, de forma sustentável. Foram feitos testes de absorção e de resistência compressão nos corpos de prova confeccionados. Observou-se que os testes realizados com tijolo maciço, apresentaram resultados promissores, uma vez que a incorporação de lodo não afetou a resistência mecânica das peças. As conclusões obtidas demonstram que é possível a utilização de lodo de ETA em outros produtos, tais como como cerâmicas que não possuam finalidade estrutural, como aquelas realizadas por artesões, assim como possibilita a extensão de estudos, inclusive em tijolos de 8 furos, posto que com incorporações menores de lodo, possa ser viável tecnicamente e sustentavelmente a utilização deste resíduo, de forma a salvaguardar os interesses ambientais, econômicos e legais.

Palavras-chave: Sustentabilidade. Resíduos. Efluente Solido. Argila.

Abstract
One of the current challenges of sanitation companies is to find sustainable solutions for the disposal of silt generated in the Water Treatment Plants - WTPs. Likewise, ceramics are interested in the incorporation of some element, to reduce the costs associated with the acquisition of clay. In this sense, the study aimed to verify the feasibility of incorporating the sludge in the clay used in the manufacture of solid bricks, and the research was conducted in a WTP and a ceramic in the city of Várzea Grande - MT. Therefore, a preliminary study was initially carried out using reduced-size tiles, to evaluate how promising the mixture of clay and WTP sludge would be. After the evaluation, solid brick pieces were prepared in order to broaden the horizon of possibilities for using WTP sludge in a sustainable way. Absorption and compression resistance tests were carried out on the manufactured specimens. It was observed that the tests carried out with solid brick showed promising results, since the incorporation of sludge did not affect the mechanical resistance of the pieces.The conclusions obtained show that it is possible to use the sludge from WTP in other products, such as ceramics that have no structural purpose, such as those made by craftsmen, as well as enables the extension of studies, including bricks of 8 holes, since with smaller incorporations of sludge, it can be technically and sustainably feasible to use this waste in order to safeguard the environmental interests, economic and legal.

Keywords: Sustainability. Waste. Solid Effluent. Clay.

Downloads

Publicado

2023-12-19

Como Citar

YUSUF, Homar Capistrano Mustafa; PINTO JUNIOR, Osvaldo Borges. Utilização Sustentável de Lodo de ETA na Confecção de Tijolos Maciços. Ensaios e Ciência C Biológicas Agrárias e da Saúde, [S. l.], v. 27, n. 4, p. 419–422, 2023. DOI: 10.17921/1415-6938.2023v27n4p419-422. Disponível em: https://ensaioseciencia.pgsscogna.com.br/ensaioeciencia/article/view/10844. Acesso em: 16 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos