Soroprevalência da Infecção pelo Vírus da Hepatite B (Hbv) na População Privada de Liberdade no Instituto de Administração Penitenciária do Amapá

Autores

  • Alana da Silva Caetano Superintendência de Vigilância em Saúde, Diretoria de Vigilância Laboratorial. AP, Brasil
  • Taíla Martins Pimentel Secretaria Municipal de Saúde – Macapá. AP, Brasil
  • Natália de Morais Castelo Superintendência de Vigilância em Saúde, Diretoria de Vigilância Laboratorial. AP, Brasil
  • Márcia Socorro Pereira Cavalcante Superintendência de Vigilância em Saúde, Diretoria de Vigilância Laboratorial. AP, Brasil
  • Rivelton Riverson Pereida de Almeida Superintendência de Vigilância em Saúde, Diretoria de Vigilância Laboratorial. AP, Brasil. Faculdade Anhanguera de Macapá, AP, Brasil. Universidade Federal do Amapá. AP, Brasil https://orcid.org/0000-0002-4030-2711

DOI:

https://doi.org/10.17921/1415-6938.2023v27n4p477-482

Resumo

A prevalência das infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) vêm aumentando significativamente em todo o mundo, entre essas infecções destaca-se a Hepatite B devido a sua alta patogenicidade e evolução crônica, especialmente em grupos populacionais de risco, como a população carcerária. O objetivo desta pesquisa foi determinar a prevalência e os fatores de risco associados à infecção pelo Vírus da Hepatite B na população privada de liberdade no Instituto de administração penitenciária do estado do Amapá. Trata-se de um estudo epidemiológico, descritivo, de caráter retrospectivo com base nos resultados das análises sorológicas no banco de dados do Laboratório Central de Saúde Pública oriundos de ações de saúde realizadas no instituto de administração penitenciaria do Amapá em 2013. A população estudada foi constituída de 1.168 (93,8%) homens e 77 (6,18%) mulheres, com idade entre 18 e 75 anos, média 29,7 anos. A prevalência de hepatite B encontrada foi de 12,8% e a análise das variáveis epidemiológicas demonstrou que o uso de drogas ilícitas (p < 0.008), compartilhamento de alicate de unha (p < 0.007) e contato com portador de hepatite B (p <0.0004) foram fatores de risco significativos para a aquisição da infecção. Observou-se que 62,7% não apresentaram positividade para nenhum marcador sorológico, sendo suscetíveis a infecção. Há necessidade de acesso a ações e serviços de saúde que garanta a o diagnóstico precoce e a cobertura vacinal com o objetivo de prevenir ou reduzir os agravos e danos provocados pelas condições de confinamento no ambiente prisional.

Palavras-chave: Hepatite B. HBV. População Carcerária. Penitenciária.

Abstract
The prevalence of sexually transmitted infections (STIs) has been significantly increasing worldwide, and among these infections, Hepatitis B stands out due to its high pathogenicity and chronic evolution, especially in high-risk population groups such as the incarcerated population. The aim of this research was to determine the prevalence and risk factors associated with Hepatitis B virus infection in the imprisoned population at the Penitentiary Administration Institute of the Amapá state. This was an epidemiological, descriptive, retrospective study based on serological analysis results from the Public Health Central Laboratory database, derived from health actions carried out at the Amapá Penitentiary Administration Institute in 2013. The studied population consisted of 1,168 (93.8%) men and 77 (6.18%) women, aged between 18 and 75 years, with an average age of 29.7 years. The prevalence of Hepatitis B found was 12.8%, and the analysis of epidemiological variables showed that illicit drug use (p < 0.008), sharing of nail clippers (p < 0.007), and contact with a Hepatitis B carrier (p <0.0004) were significant risk factors for infection acquisition. It was observed that 62.7% did not present positivity for any serological marker, being susceptible to infection. There is a need for access to health actions and services that guarantee early diagnosis and vaccine coverage with the aim of preventing or reducing the harm caused by confinement conditions in the prison environment.

Keywords: Hepatitis B. HBV. Incarcerated population. Penitentiary.

Biografia do Autor

Rivelton Riverson Pereida de Almeida, Superintendência de Vigilância em Saúde, Diretoria de Vigilância Laboratorial. AP, Brasil. Faculdade Anhanguera de Macapá, AP, Brasil. Universidade Federal do Amapá. AP, Brasil

Biomédico (Estácio-Seama/2013); Especialista em docência no ensino superior (IESAP/2014); Mestre em Ciências da Saúde (UNIFAP/2019); Realizou estágio voluntário na Policia Técnico e Científica do Amapá (POLITEC-AP - 2012 - 2013) no Laboratório Forense e DNA; Atua como Biomédico no Laboratório Central de Saúde Pública do Amapá (LACEN/AP), no setor de Virologia/Imunologia, atua diretamente no apio ao diagnóstico molecular da COVID-19. Trabalhou como professor na escola técnica em saúde Flórence-AP (2014 - 2018) e no curso de farmácia do instituto macapaense do melhor ensino superior do Amapá (IMMES - 2018 - 2019). Atualmente é professor A do curso de biomedicina na Faculdade de Macapá (FAMA-AP - KROTON - 2019). Possui experiência nas áreas de Genética e Biologia Molecular com estudos populacionais e expressão gênica; Toxicologia e Ecotoxicologia com estudo de metais pesados e desreguladores endócrinos e nas Análises Clínicas com ênfase em imunologia, virologia, epidemiologia, fisiologia e patologia.

Downloads

Publicado

2023-12-19

Como Citar

CAETANO, Alana da Silva; PIMENTEL , Taíla Martins; CASTELO, Natália de Morais; CAVALCANTE, Márcia Socorro Pereira; ALMEIDA, Rivelton Riverson Pereida de. Soroprevalência da Infecção pelo Vírus da Hepatite B (Hbv) na População Privada de Liberdade no Instituto de Administração Penitenciária do Amapá. Ensaios e Ciência C Biológicas Agrárias e da Saúde, [S. l.], v. 27, n. 4, p. 477–482, 2023. DOI: 10.17921/1415-6938.2023v27n4p477-482. Disponível em: https://ensaioseciencia.pgsscogna.com.br/ensaioeciencia/article/view/10657. Acesso em: 16 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos